Paulo André Costa
Licenciatura em Economia /2006-2009

Na Universidade de Évora:

Entrar em Évora foi a minha primeira opção, tinha oportunidade de ir estudar para qualquer outra universidade, mas compreendi que queria tirar a minha licenciatura em Economia num ambiente digamos mais pequeno e familiar, onde não seria apenas mais um numa grande "linha de fabrico" de economistas, mas faria sim parte de algo mais pessoal onde os professores deixam realmente um testemunho da sua experiência e sabedoria a cada um dos seus alunos.

E não me enganei na escolha, aliás a passagem por Évora foi bastante gratificante em termos de realização pessoal e profissional. Em termos de acolhimento, o curso de Economia é dos cursos com maior tradição na Universidade e logo desde o dia da matrícula se começa a fazer sentir o caloroso acolhimento dos estudantes mais velhos e rapidamente nos deixamos envolver por todo o ambiente vivido e constante clima de festa e animação. Destaco ainda que, dentro do ambiente familiar que se vive, os estudantes que nos acolhem sentem uma responsabilidade por cada um dos novos colegas e este espírito "paternal" faz-se sentir ao longo do nosso curso. Diria até que ao longo de toda a nossa vida, pois encontramos amigos que ficam para sempre. Apesar de ter acabado a licenciatura recentemente, sei que vou sentir sempre, tal como todos os que por ali passaram, uma sensação de pertença àquele lugar que me acolheu, num período que é certamente dos mais marcantes a todos os níveis na vida de um estudante.

Para além do soberbo ambiente extra aulas e acima de tudo isso, encontramos um corpo docente de qualidade, bastante experiente e disponível a acompanhar os alunos. O ambiente em aula é bastante interactivo e descontraído, com um bom balanço teórico-prático, sendo o empenho e participação dos alunos um elemento essencial para tornar a experiência de aprendizagem extremamente enriquecedora. Com um currículo académico bem concebido e flexível, a licenciatura em Economia da Universidade de Évora permite ao aluno construir uma sólida base de conhecimentos que serão as suas ferramentas para o futuro.

Lá fora:

Hoje em dia, e especialmente sendo estudante de economia, é bastante importante construir um currículo recheado de diferentes experiências, pelo que decidi partir para uma nova faculdade, um novo desafio, optando para um mestrado em Economia com toda a avaliação em inglês. Tem sido como que um "vá para fora cá dentro", antes de mais por estar numa cidade bastante mais agitada, bem como que pela grande diversidade de nacionalidades e culturas dos alunos neste mestrado que tem uma oferta internacional.

O ambiente em mestrado, tendo em conta o número de alunos, é relativamente semelhante, embora não tão acolhedor e familiar e bastante mais competitivo. Sendo um mestrado intensivo (não pós-laboral), o dia-a-dia é bastante igual ao da licenciatura, mas com um nível de exigência mais elevado em termos de trabalho, aplicação e estudo. Posso dizer que a base de conhecimento que trazia de Évora me ajudou muito, pois trazia um bom conhecimento quer teórico quer técnico. A maior dificuldade foi mesmo o facto de ser tudo em inglês.

Apesar de ser bastante esforço para um curto ano e meio de mestrado, tem sido uma experiência gratificante, onde me sinto como que numa rampa de lançamento para o mercado de trabalho. São constantes as apresentações de recrutamento de empresas na faculdade, quer o apoio dos gabinetes da mesma na construção e acompanhamento do nosso currículo, com vários módulos obrigatórios de desenvolvimento de soft-skills, programas de mentoring com pessoas de diferentes empresas e sessões informais com antigos alunos sobre a sua carreira. Creio que esta componente de encaminhamento para a vida profissional tem sido a grande mais-valia, não querendo retirar mérito ao ensino e aos professores também de qualidade e com grande disponibilidade. Como também a camaradagem que se vive por parte dos colegas de mestrado, cada um com diferentes experiências e background, em que alguns já leccionam aulas a alunos de licenciatura e outros que nem sequer eram da área de economia ou semelhante.

Mensagem:

O que gostava de transmitir é que "não basta existir, é preciso viver" e de facto o tempo que eu passei em Évora foi isso mesmo, um viver intenso, um trabalhar constante, mas também fazer novos amigos, novos contactos e aproveitar cada minuto da vida. Morando a uns 30km de Évora, sempre continuei com as minhas actividades e projectos pessoais, estudei e tive sucesso e ainda a cada dia viajava com um saco de cama no carro pois cada dia podia acabar num jantar entre amigos e numa prolongada noite de diversão.

Apenas tenho pena de não ter tido uma experiência em Erasmus, não ter feito um estágio de verão e não ter investido num curso de inglês. Mas o tempo não deu para tudo e fiquei limitado por algumas actividades e outros trabalhos.

De qualquer forma, ambicionem, por vezes a vida não tem plano ou rumo certo, o que importa é como vivemos cada momento e saber que estamos um passo mais perto das nossa ambições.

Disponham sempre,

pauloarc@sapo.pt

http://www.facebook.com/paulooarc

Dt. Testemunho: 26.05.2010