DANIEL JOSÉ CACHOPAS
Licenciatura em Economia /2002-2007

Na Universidade de Évora:

A minha entrada na Universidade de Évora foi um pouco atribulada e digna da imaturidade da altura. Entrei em 2000 para Matemática Aplicada, em busca do sonho de ser Professor de Matemática. Cedo me apercebi do erro cometido, mas insisti em continuar, pois não queria dar o "desgosto" de uma desistência a quem tanto tinha apostado em mim, os meus pais. Depois de 2 anos completamente perdidos, caí na realidade e não podia deixar as coisas seguirem um caminho errado. Mudei para Economia em 2002, e foi a melhor decisão... Professores muito competentes, colegas impecáveis (poucos mas bons), e matérias que me voltaram a dar motivação e vontade de estudar. Apercebendo-me da asneira que fiz nos 2 anos anteriores, resolvi trabalhar e estudar ao mesmo tempo, para aliviar o esforço orçamental dos meus pais, o que também se revelou uma boa experiência.

Após 4 anos e meio, em Fevereiro de 2007 terminei a Licenciatura, o que foi um "tremendo" alívio por ter cumprido um sonho de vida meu e dos meus pais, mas cedo concluí que ainda não estava preparado para "enfrentar" o mundo com os conhecimentos que desejaria. Foi então que (já a trabalhar longe de Évora) decidi apostar num Curso de Estudos Avançados em Economia e Desenvolvimento do Território, que sempre foi a minha área de eleição. Este curso foi muito gratificante mas ainda faltava algo, que só este ano pude concretizar: o Mestrado em Política Públicas e Projectos, que me enriqueceu muito enquanto aluno, homem, profissional e, principalmente, cidadão... O conhecimento nunca é demais e depois de terminada a componente lectiva, vou iniciar a dissertação, mas desde já com vontade de abraçar novos projectos ligados a esta Universidade ÚNICA...

Foram (e são) anos muito bons, onde fiz amigos para a vida, onde passei momentos e experiências maravilhosas, do qual muito me orgulho e recordo com saudade...

Lá fora:

Ser trabalhador-estudante exige algum sacrifício, mas também responsabilidade, uma vez que nos dá mais maturidade, e melhor aproveitamento na gestão dos recursos (sempre escassos!).

Quando terminei o Curso fui fazer um Estágio PEPAL de Economia, na C.M. Barrancos, o que me mostrou a diferença entre os "bancos de escola" e a realidade. Foi uma experiência importante, principalmente pela autonomia adquirida e pelo desafio de contribuir para o desenvolvimento de uma região bastante deprimida e com índices socioeconómicos preocupantes. O trabalho foi compensador, e no fim do ano de Estágio, abracei um projecto co-Financiado EEAGrants, que me garantia estabilidade por 3 anos, mas surgiu uma oportunidade única de voltar para Évora, que não podia ser desperdiçada! Mudei-me da Administração Local para a Regional, para o Departamento de Contratualização da ARS Alentejo, IP., e já passaram 3 anos desde então...

O "bichinho" da coisa pública, do desenvolvimento regional, dos projectos, etc. nunca me abandonou, e conto usar os conhecimentos adquiridos (e por adquirir) em trabalho, projectos e acções que possam ser uma mais-valia para esta (nossa) região. Para isso tenho de combater o "estigma" do funcionalismo público, mas com dedicação no trabalho e ideias inovadoras tudo isso é ultrapassado!

Mensagem:

Não gosto de dar conselhos, nem vou acrescentar grande coisa de novo ao que se diz a quem está agora na fase de "estudante profissional". Apenas que aproveitem estes anos únicos das vossas vidas, conheçam pessoas novas, novas realidades, novas culturas... Se tiverem possibilidade façam Erasmus (ou qualquer outro programa fora do país), que foi sem dúvida o que não fiz e mais pena me deixou, mas no meu caso também não era muito fácil!

Termino com um abraço saudoso a todos aqueles que mudaram a minha vida enquanto estudante da UÉ, e com um desejo de BOA SORTE aos actuais estudantes, que desfrutem dessa maravilhosa condição e que tenham muito sucesso nas vidas pessoais e profissionais...

Dt. Testemunho: 27.09.2011