Gabriel Barros
Licenciatura em Economia (Ref 1992) /1995-2000

Na Universidade de Évora:

Confesso que a Universidade de Évora não foi a minha primeira opção mas hoje não quereria que tivesse sido diferente. Em termos académicos, o ensino é mais exigente do que na maioria das Universidades. A formação ministrada na Universidade de Évora é de grande qualidade, contando com excelentes professores, permitindo obter uma base de conhecimentos sólida. Além disso tem boas infra-estruturas, contando com alguns edifícios de imensurável valor histórico. Por outro lado, a Universidade de Évora tem uma vida académica fantástica, existindo grande companheirismo e amizade. Foi durante a licenciatura que fiz as principais amizades que ainda hoje conservo. Finalmente, Évora é uma cidade que permite uma boa qualidade de vida, com muitas vantagens de uma cidade e, simultaneamente, a calma de uma vila.

Lá fora:

Ainda antes de concluir a Licenciatura em Economia percebi que gostaria de enveredar pela área da Fiscalidade. No entanto, sempre considerei que era importante continuar a actualizar conhecimentos. Hoje em dia é exigido a um profissional que tenha um conhecimento mais abrangente sobre matérias que estão na fronteira da nossa área de actuação. Em termos profissionais, não tenho dúvidas de que o tempo em que trabalhei em Serviços de Finanças foi importante para a minha aprendizagem pela abrangência de conhecimentos que me permitiu adquirir ao trabalhar com os diversos Impostos. No entanto, considero que foi extremamente importante para o meu percurso a passagem pela Direcção de Serviços de Investigação da Fraude (DGCI) pelo contacto mais aprofundado com o funcionamento do nosso sistema fiscal, bem como dos sistemas fiscais de outros Estados Membros da União Europeia. Finalmente, o ponto de viragem na minha carreira foi uma passagem de cerca de um ano e meio pela Ernst&Young, pela área de Indirect Tax, porque me ensinou novas formas de trabalho, a conseguir uma melhor organização do trabalho e a ter como objectivo de trabalho a qualidade. Actualmente, depois de uma breve passagem por uma equipa mista DGCI/Polícia Judiciária, exerço funções de Assessor Parlamentar para a área de Orçamento e Finanças, na Assembleia da República, o que me permite ser mais interventivo e estar mais próximo da elaboração das nossas Leis.

Mensagem:

O importante é não parar nunca e não ter medo de arriscar. Como escrevi há uns meses atrás, quando saí da Ernst&Young, "não sei bem onde estou nem onde vou conseguir chegar mas tenho a certeza de que será sempre mais longe do que se tivesse parado no mesmo sítio a queixar-me da vida".

Dt. Testemunho: 21.04.2010